quarta-feira, 21 de março de 2018

MINHAS OBSERVAÇÕES SOBRE O FÓRUM SOCIAL MUNDIAL - SALVADOR-BA - 2018

































































O Fórum Social Mundial de 2018 foi realizado em Salvador-Ba entre os dias 13 a 17 de março com o tema “Resistir é criar resistir é transformar”.
De Campo Mourão estavam presentes Leonice Cazarin e Nivalda Sguissardi  Roy pelo Sindicato dos Bancários, Sérgio Luiz Maybuk pela Unespar e a professora aposentada e ex-vereadora pelo PT Vilma Terezinha.
E estavam sempre com o nosso pessoal, os dois grandes companheiros Roberto Brasileiro do Sindicato dos Bancários de Apucarana (várias fotos tiradas por ele estão na matéria) e Ivaí Lopes Barroso do Sindicato dos Bancários de Cornélio Procópio que também colaborou na matéria, com as fotos das pessoas de várias origens e nacionalidades.
O Fórum teve 1382 eventos escritos e com a participação de mais de 100 países. Isso daria por dia em média quase que simultaneamente 276 eventos.
A agonia era grande em ter que escolher uma atividade por vez, enquanto várias outras estavam acontecendo no mesmo horário.
No primeiro dia, 13 de março, depois do credenciamento e o recebimento da bolsa identificadora do Fórum, milhares de companheiros e companheiras participaram de uma grande marcha. Eu tive o privilégio de fazer toda a marcha, próximo a um grupo de rapazes  com tambores e uma batuque com a cara da Bahia.
No dia 14 participei com companheiros e companheiras de uma bela oficina intitulada “Paz só com Justiça Social – As Elites do atraso, Retrocesso Social e as Possibilidades de um Projeto de Nação. Participaram com falas os pesquisadores Álvaro Gomes e Fábio Guedes e a pesquisadora e ex-procuradora da Bahia Cleia dos Santos – referência internacional sobre o tema.
De maneira genérica foi ressaltado por um dos palestrantes que se não for investido em política social nas cidades e especialmente nas comunidades não se alcança a paz. Uma frase para reflexão: O sinônimo de segurança é  convivência. Você não teme quem conhece. Ainda de acordo com as pesquisas do pesquisador, o perfil da imensa maioria dos assassinados no Brasil é pobre, negra e jovem.
A pesquisadora e ex-procuradora da Bahia, que é negra deu uma aula emocionante ressaltando todas as mazelas da escravidão no Brasil e as “leis” que foram surgindo sempre para prejudicar os negros posteriormente “livres”. Ela afirmou também que não se reconhece,  por exemplo, que as primeiras expressões escritas no mundo foram de povos negros.
Ela que atualmente é aposentada do trabalho, batendo no peito disse que é uma ativista social e que levanta as 5 da manhã e dorme a meia noite, porque  sabe que o lado daqueles que  praticam injustiças não descansa nunca e é necessário sempre estar alerta para combatê-los por meio da resistência.
O pesquisador que tratou do Retrocesso Social a partir do golpe de 2016, bateu pesado nos golpistas, mas também fez críticas aos erros cometidos pela esquerda brasileira que foi ingênua, especialmente os componentes do governo que foi golpeado que ainda cometeu erros por falta de habilidade política junto ao legislativo.
Na parte da economia, usou uma analogia que derruba os argumentos dos neoliberais, que sempre afirmam que a economia deve ser gerida como as finanças de uma casa, ou seja, deve-se minizar os custos para sobrar mais (Estado Mínino) e nessa lógica, por uma questão de justiça, dever-se-ia pagar o mínimo de juros aos bancos para diminuir a dívida pública, mas se dá exatamente o contrário, a considerar-se os extraordinários lucros dos bancos mesmo em períodos de crise. Também ressaltou que dentro das possibilidades de um projeto de nação, deve considerar as universidades, pois segundo ele, os EUA por exemplo, não dão um passo sem consultar a inteligência nas universidades.
No mesmo dia, companheiros e companheiras  tiveram o prazer de participar de uma oficina chamada “imperialismo estadunidense” com o conceituado jornalista Breno Altman. Ele destacou que nos EUA é nítido o aumento da pobreza e de pessoas morando nas ruas. Afirmou que o país aparentemente está em decadência econômica, mas que sempre se reinventa utilizando sua força da moeda (aceita por todos) e a força militar e destacou o nacionalismo do Trump para beneficiar os americanos brancos, praticando a xenofobia.
Bem no final da tarde daquele dia, companheiros e companheiras assistiram no  Auditório da UFBA a palestra " A democracia e os grupos da midia" com o jornalista econômico Luis Nassif (há uma foto dele comigo na matéira). Nassif desnudou várias e vergonhosas manipulações da mídia tradicional. Quem lê os textos dele sabe como ele é cirúrgico nas colocações. Ele também acabou fazendo crítica à comunicação dos governos Lula e especialmente da Dilma.
No dia 15, companheiros e companheiras, participaram da oficina intitulada " Sem democracia não há saúde " - Gestão em saúde e os impactos das reformas neoliberais na saúde dos trabalhadores. Dentre os debatedores o ex-Ministro da Saúde Senador Humberto Costa do PT de Pernambuco. Ele que também é médico relatou vários casos que estão destruindo o SUS e casos que estão afetando diretamente a saúde da imensa maioria da população brasileira.
No dia 16 de manhã, por ser pesquisador de economia solidária, fui sozinho visitar, conhecer e entrevistar várias pessoas na Feira de Economia Solidária no Espaço do Fórum Social. Tive um belíssimo  encontro com Ana Lisboa, presidente da APROART e artesã da cidade de Ubaira no território Vale do Jiquiriça Bahia 283 km de Salvador . E Jeronymo Freitas - artista plástico e Jilma Pereira artesã. Depois farei uma matéria aqui no Blog do Maybuk sobre o belo trabalho da referida Associação. Antecipando, a associação de produtores de artesãos que trabalham com a fibra da bananeira.
Pelas fotos da matéria, dá para observar vários segmentos de produtos de economia solidária. Pelas minhas entrevistas tem grupo que já está exportando para fora do país e um grupo que está vendendo muito bem, em quatro shoppings de Salvador-Pr, graças ao apoio do governo do Estado da Bahia que é do PT. Eu deixei o meu cartão para todos os representantes dos estandes e afirmei que aqueles que me enviarem fotos e dados de seus projetos  eu publicarei uma matéria à parte por aqui.
No período da tarde, companheiros e companheiras participaram de um importante evento com o historiador e professor universitário Valter Pomar chamado "Balanço da experiência política da esquerda latino-americana " . Ele destacou os erros e acertos dos partidos de esquerda latino-americana e especialmente as similaridades. E no caso brasileiro, fez duras críticas ao PT pela forma ingênua que agiu confiando nas elites brasileiras, que jamais vão caminhar com o povo.
No mesmo local, abriu-se um espaço para uma fala emocionante da espanhola  Maite Mola do Partido comunista da Espanha e importante política européia. Ela destacou a imensa quantidade de pobres que estão surgindo em  toda a Europa.   
No mesmo dia, no período da noite, aconteceu uma belíssima manifestação de apoio ao ex-presidente Lula, com manifestantes de várias partes do mundo denunciando o processo judicial político que ele vem enfrentando.  O Governador da Bahia Rui Costa foi o anfitrião e demonstrou uma grande oratória. E o Lula arrancou lágrimas de várias pessoas ao meu redor. Foi a terceira vez que tive a oportunidade de estar presente num evento em que o Lula esteve presente, Curitiba, Porto Alegre e agora Salvador. Da forma tranqüila e serena com que se manifestou só atesta que é um perseguido político e deixou bem claro que se o prenderem os seguidores deles continuarão o trabalho. Grande líder e hábil orador , afirmou que pensará pela cabeça do seu povo e caminhará pelas pernas do seu povo e pelas Manuelas (referência à Manuela D´avila ali presente) e Guilhermes  (referência à Guilherme Boulos) ambos também candidatos à presidência da república.  
No ato de apoio a Lula, também teve várias homenagens para a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, brutalmente assassinada por defender as causas dos pobres , especialmente as mulheres.       
No dia 17, Debate sobre democracia e universidade com vários reitores especialmente o reitor Joao Carlos Salles da UFBA que tratou da absurda convocação dele, pela policia federal para explicar sobre a disciplina "o golpe de 2016."
Isso é TOTALMENTE indecente porque fere a autonomia universitária garantida pela constituição, segundo ele e demais reitores e reitoras presentes no debate o Brasil está em estado de exceção.
Com referência especificamente ao Fórum, o Blog do Maybuk está disponível para publicar as observações dos companheiros e companheiras Leonice Cazarin, Nivalda Sguissardi Roy, Vilma Terezinha, Roberto Brasileiro e Ivaí Lopes Barroso. Tenho certeza que mesmo nos próprios eventos em que participaram comigo, poderão ter outro olhar e contribuirão significativamente com os leitores do Blog. E há ainda os casos em que participaram de eventos em que eu não participei, como é o caso da marcha das mulheres que nossas companheiras participaram.
Tenho a salientar que o evento foi uma das melhores experiências da minha vida e Salvador-Ba e as baianas e baianos é tudo de bom. Apesar de muitos alertas que recebemos sobre violência especialmente, pudemos passar uma semana toda na cidade convivendo com um povo muito alegre e hospitaleiro.  Até encontrei o simpático e talentoso escritor Achel Tinoco por lá.
Agradeço a paciência e o companheirismo dos que estavam próximos de mim e destaco também os momentos de descontração, foram muitos risos durante toda a semana.   


2 comentários:

  1. Parabéns pelo seu trabalho, tem consigo a voz de muitos.

    ResponderExcluir

LEIA COM ATENÇÃO!

Este espaço é para você fazer o seu comentário sobre a postagem ou mesmo sobre o blog como um todo. Serão publicados todos os comentários a favor ou contra, desde que não contenham textos ofensivos.
Os comentários serão publicados até 24 horas após o envio.

Se você NÃO quiser se identificar, marque o seu perfil como ANÔNIMO e envie. Se você QUISER se identificar, marque o seu perfil como NOME/URL, escreva o seu nome no campo NOME e deixe o URL em branco e envie.