terça-feira, 12 de junho de 2018

POSSE DO PROFESSOR FÁBIO SEXUGI E COMENDA PARA ELLY BRENNER










No sábado dia 09/06/18 participei de um importante evento na Câmara Municipal de Vereadores de Campo Mourão-Pr.

Posse da nova diretoria da AML - Academia Mourãoense de Letras e entrega de mais uma Comenda Vida e Liberdade.

O evento foi comandado pela então presidente da AML - Ester de Abreu Piacentini e pelo membro Ilivaldo Duarte.

Teve apresentação de música e uma menina graciosa (queria saber o nome) declamando um poesia.

A acadêmica da AML Edcleia Basso fez a homenagem à professora Elly Brenner de 92 anos de idade. Foi muito emocionante e a professora homenageada estava muito lúcida. No momento dos cumprimentos, perguntei a ela como se deve fazer para chegar a uma idade tão avançada e ela me respondeu que não devemos reclamar demais das coisas da vida, um dia estamos tristes e em outro estamos alegres, um dia chove outro faz sol.

No discurso de posse (quando tiver acesso vou publicar) do novo presidente da AML Fábio Alexandro Sexugi, que por ser de Peabiru e considerado "forasteiro" na instituição, fez uma belíssima  combinação de fora e dentro, citando seus antepassados e cidades da região. E fazendo uma analogia ao "grande acordo com supremo e tudo" que está acontecendo no Brasil e causando retrocessos, quer fazer também um "grande acordo regional, mas com poesia e tudo" e com o objetivo de melhorar a vida das pessoas e não retroceder.

Ele fez referência no seu discurso ao vereador Cícero de Souza do PT de Campo Mourão, do presidente da Câmara de vereadores de Peabiru José Durães de Souza, do diretor da Unespar campus de Campo Mourão João Marcos Borges Avelar, da professora Elly Brenner, do reitor da Unespar Antonio Carlos Aleixo (que substituiu na disciplina de latim)    e Mara Cristina dos Santos Oliveira, ambos que também já receberam a Comenda  Vida e Liberdade. Fez referência ainda presidente do Partido dos Trabalhadores do qual milita da cidade de Peabiru Maria de Lourdes Bassi Alves Pimentel e em um gesto de carinho citou a sua primeira professora de língua portuguesa Andrea Avelar (presente no evento e que cedeu as fotos para a presente publicação) e a professora de língua  inglesa Edicleia Basso que também faz parte da nova diretoria da AML.

Assinaram o livro da posse além do presidente citado e a professora citada, também a Vice-Presidente Dirce Bortotti Salvadori e demais membros Jair Elias dos Santos Jr, Nelci Veiga Mello, Cristina Schreiner Mota, Giselta Veiga, Gilson Mendes de Goís, João Maria de Lara e José Eugênio Maciel. 

E no tempo que dediquei para essas palavras, tentei lembrar de todo o tempo aproveitado no belo evento e destacando o momento dos cumprimentos e de rever amigos e amigas que me valeu aproveitar aquele tempo precioso.

sábado, 9 de junho de 2018

COLETA DE DADOS DE PESQUISA EM ASSOCIAÇÕES DE RECICLÁVEIS DE GOIOERÊ E UBIRATÃ










Nos dias 06 e 07 de junho de 2018, eu os estudantes do curso de ciências econômicas da Unespar campus de Campo Mourão-Pr - Jackson Andrade (Goioere-Pr) e Géssica Soares (Ubiratã-Pr), tivemos uma riquíssima experiência. Fomos coletar dados junto à duas associações de recicláveis da região da COMCAM, ATA e RECITÃ para cumprimento de meu projeto de pesquisa atual do TIDE ( Tempo Integral e Dedicação Exclusiva).

Tanto em Goioerê quanto em Ubiratâ, além dos dirigentes que mencionarei a seguir, entrevistamos individualmente todos e todas associados e associadas  (grande maioria). Cada contato ali foi marcante e cada um e cada uma com sua sabedoria, parte deles e delas com até o ensino médio completo e vários semi analfabetos, mas que têm muito a nos ensinar, especialmente porque dão um destino mais adequado ao material reciclável oriundo dos resíduos produzidos pela população. E tal qual como invariavelmente já pude receber relatos de outros municípios, inclusive Campo Mourão-Pr , apesar de todas as campanhas de conscientização promovidas pelo poder público, eles e elas ainda precisam enfrentar a situação desagradável e perigosa de encontrar entre os materiais separados pela população, algumas sandices como alimentos, fraldas usadas, papel higiênico, vidros quebrados, lâmpadas quebradas, seringas usadas e até animais mortos. Talvez só as crianças agora possam salvar nosso futuro com referência a tais situações.         
Em Goioerê o trabalho só possível pelo valoroso contato com a Diretora de Meio Ambiente do município Leila Izabel. Fizemos entrevista com a presidente da Associação ATA - Aparecida Oliveira da Silva que é coletora de materiais recicláveis, mas muito dinâmica e que já palestrou sobre o tema na UEM e com a Secretária da cooperativa Andreia S. S. Munuera da Costa. A prefeitura de Goioerê faz um repasse mensal de R$ 25.000,00.

Em Ubiratã o trabalho só possível pelo valoroso contato com a responsável pelo Meio Ambiente do município Cleide Carvalho e que passou informações valiosas sobre a associação do município, que por meio do trabalho realizado, conquistou o apoio a Itaipu binacional que doará 3 milhões de reais para construção do novo barracão e a compra de equipamentos que facilitará em muito a vida dos trabalhos no local.  Ela ainda fez questão de por meio do Assessor de Comunicação Valdir Silva, de nos levar ao gabinete do prefeito municipal Haroldo Fernandes Duarte (Baco), que foi muito atencioso conosco e inclusive nos relatou algumas experiências que testemunhou sobre meio ambiente no Japão.

Além do trabalho que foi gratificante, tive o privilégio de reencontrar o sr. Antonio Hideraldo Magron que já foi responsável pelo DRS - Desenvolvimento Regional Sustentável do Banco do Brasil e que no ano passado contribuiu para minha pesquisa sobre a coleta seletiva do município juntamente com outras pessoas. Reencontrei também um querido casal , funcionários da prefeitura de Ubiratã -  Gerson Pelegatti e sua esposa Sandra, foram meus alunos da turma de ciências econômicas de 1999.   

segunda-feira, 4 de junho de 2018

UM REFLEXO DO SISU NA UNESPAR

Reflexos do SiSU: um aluno meu do segundo ano deu um depoimento interessante na sala hoje. Ele veio de São Paulo capital. Quando ele conta lá que está fazendo um curso de economia as pessoas quase estendem um tapete vermelho para ele. Quando ele conta que estuda na Universidade Estadual do Paraná o encantamento aumenta. Lá um curso particular de economia é 2.200 reais por mês.

sexta-feira, 1 de junho de 2018

quinta-feira, 24 de maio de 2018

SARAU DA AME - MAIO DE 2018






















No  dia, 19 de maio de 2018, a AME, Associação Mourãoense de Escritores (Coordenação  Fátima Saraiva e Fátima Braga)  em conjunto com a Biblioteca Pública Biblioteca Municipal Egydio Martello, (Coordenação Luciana Demetke)  promoveu um Sarau Literário, com expressões em forma de poesias, poemas, prosas e músicas. Foram horas agradáveis com bons textos de autoria dos próprios participantes ou de autoria de grandes autores.
 
Infelizmente não pude participar, mas como sempre, o Blog do Maybuk registra o evento e aqui por meio das fotos e do texto da escritora Fátima Saraiva:  



Como sempre, os encontros da AME é inovador. Algumas pessoas estiveram pela primeira vez conhecendo um pouco da associação. Pessoas com afinidades poéticas e sensíveis mazelas cotidianas. 

Pessoas presentes no Encontro: Antonio Barros de Moura Filho, João Maria de Lara, Otmar Soares, Prescila Alves Pereira, Francioli ,Max Moreno, José Carlos Barboni, Silvestre Duarte, Ana Aparecida Ceola Ribeiro, Maria de Fátima Saraiva Ferreira, Sônia Ubelina de Oliveira Silveira, Luciana Demetke de Oliveira, Cícero Pereira de Souza, Reinaldo Remígio, Isabelle Caldas Carneiro, Mauricio Caldas Carneiro, Doroty Baçon Carneiro, Marlene Paposki, Cristina Gláucia Schreiner Mota, Dalva Helena de Medeiros, Maria Aparecida Gastaldo e Ester de Abreu Peacentini.

Dos nomes acima mencionados, estiveram pela primeira vez: Cícero Pereira de Souza, já esteve em outros encontros da AME, mas nessa gestão é a primeira vez que ele nos deu o privilégio de sua instigante presença. E como não falar sobre política quando o assunto é educação... É a literatura sendo ‘pisoteada’, sucateada por interesses ‘ditos’ prioritários. Acrescentadora a presença e a fala do nosso amigo Cícero, que tem tanta habilidade com as palavras, sobretudo, com as ações.

José Carlos Barboni, Gerente Regional da Sanepar. Já escreveu cerca de dez poesias, (não publicadas). Presenteou-nos com duas poesias autorais. Como um poeta de grande sensibilidade, sabe escrever a dor, assim como o amor. E se despediu com uma linda poesia romântica que nos fez viajar nos confins dos tempos. – O mediador da primeira experiência do Barboni, na AME é o Sergio Maybuk, membro da AME.  Atitude exemplar de divulgar a associação. 

Marlene Poposki é uma apaixonada pela literatura no mais variados gêneros. Ama fotografias e música ao vivo. – Marlene é prima de João Lara e de Silvestre Duarte.

Silvestre Duarte, mourãoense, mas residente em Curitiba. É escritor e jornalista. Falou de uma de suas publicações, “Datação do Carbono 14” e também do seu lançamento em dezembro de 2017, na Biblioteca Professor Egydio Martello. Acrescentou as demais falas à problemática que a literatura vem passando. 

O Encontro AME, além das intervenções dos que vieram pela primeira vez, tivemos nossos veteranos falando um pouco sobre si. Poetizando o sentir... . A paixão anda de mãos dadas com o poeta. E como não ficar muda diante de um momento peculiar... 

Na voz da nossa Aninha, nostalgias de um escrito tão contemporâneo. Com certeza, o Sr. Medeiros sabia escrever a paixão... – Deveria ter nas pontas dos dedos, corações. É claro que a filha, Dalva de Medeiros, não poderia ser diferente. Além de ser escritora, professora, sabemos que ela trabalha arduamente para que o índice de analfabetos políticos não seja uma crescente. 

O Encontro foi tomado por momentos para viajar ao infinito das abstrações, mas também para fincarem os pés no chão... Prescila Francioli leu um lindo poema que está inserido nas páginas de seu livro “Fogo e Chuva”. Também posou para foto ao lado de Mauricio Carneiro que em outro momento a presenteou com um livro de Paulo Leminsk. 

Ester Piacentini, falou que seu mandato enquanto Presidente da Academia Mourãoense de Letras – AML está prestes a ser concluído. Próximo mês – Nova Diretoria. 

Max Moreno veio ao evento com seu jeito eloquente e presenteou Ana Ceola e a mim com seu espetacular livro “A Outra Sombra”. Concluo aqui, com uma palavra que está no meu dia-a-dia: F-A-S-C-I-N-A-Ç-Ã-O... Fascinação é o que sinto quando fico pertinho de pessoas que tem habilidade com a escrita... Que são modestas e que nem se dão conta do quanto mexem com corações e do quanto que são capazes de mudarem vidas. Essas pessoas são tão fascinantes que mesmo distantes sempre ESTÃO.

domingo, 20 de maio de 2018

REPERCUSSÃO DA PERDA DO AMIGO PROFESSOR JOÃO CARLOS LEONELLO

Hoje 20/05/18  por duas vezes, estive no PREVER acompanhando o velório do amigo e professor do Colegiado de Ciências Econômicas  da Unespar campus de Campo Mourão-Pr João Carlos Leonello, que nos deixou aos 58 anos. Entre os dois períodos fui almoçar no CELEBRA eventos, ocasião em que acontecia o consolidado "Porco no Tacho" do ADM SOLÍDÁRIO, promovido pelo colegiado de Administração do campus anteriormente citado e que a arrecadação é em prol de locais que prestam assistência social na cidade e lá foi feita uma bela homenagem ao professor falecido, comandado pela professora Lole.
No velório, entre um período e outro em que apareci por lá pude perceber a presença do Reitor da Unespar, de um Pró-reitor, do diretor do campus, dos dois diretores de centro de área, de professores de todos os colegiados na ativa e aposentados, agentes universitários na ativa e aposentados, alunos e ex-alunos do professor, funcionários da COAMO (em que ele trabalhou por muitos anos), funcionários do SEBRAE ( em que ele foi consultor) e de demais segmentos. 
Numa manifestação de carinho e respeito eu vi dentre as várias coroas de flores, as que me lembro, do Colegiado de Ciências Econômicas da Unespar, do CORECON - Conselho regional de economia, do Mestrado do campus em que ele era professor, da turma de alunos de 1999, do Rotary que ele frequentava, do prédio em que ele morava, do SENAR em que ele era consultor.
E pela internet, sinceramente não tinha visto tanta repercussão.
A manifestação assinada pelo coordenador do curso de ciências econômicas e em nome dos professores do colegiado CLIQUE AQUI   conferido recentemente, teve 33 compartilhamentos e 349 curtidas e 63 comentários.
A manifestação no site da Unespar CLIQUE AQUI  foi importante mas não posso atestar a repercussão.
A bonita matéria no site do jornal Tribuna do Interior CLIQUE AQUI   foi importante mas não posso atestar a repercussão.
A matéria no meu facebook que fiz a partir da matéria do meu blog (comento na sequência) teve 56 compartilhamentos e 153 curtidas e 43 comentários.
A matéria que fiz no Blog do Maybuk CLIQUE AQUI  teve uma repercussão impressionante, só para ter ideia o máximo de visualização para uma matéria individual nos quase 10 de anos de Blog, foi de 1.500 e no caso da matéria em questão foram os surpreendentes 10.021 visualizações. 
Além das matérias citadas eu vi no meu facebook várias manifestações individuais de colegas de trabalho, alunos, amigos etc, mostrando que realmente o professor João Carlos Leonello que foi tão cedo pela nossa avaliação, deixou uma rica história de vida.  

Registro também que em Maringá-Pr local em que ele foi cremado tinha a presença de professores do campus que moram lá e inclusive ex-aluno.
 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

PERDEMOS O PROFESSOR E AMIGO JOÃO CARLOS LEONELLO


Depois de mais de dois meses de uma batalha difícil de saúde, perdemos o professor e amigo João Carlos Leonello que será velado no domingo de manhã no PREVER em Campo Mourão-Pr.

Eu não cheguei a ser aluno dele, mas fui colega de trabalho no Colegiado de Ciências Econômicas da Unespar campus de Campo Mourão durante 23 anos. 

Tornei-me amigo muito próximo, além dos trabalhos cotidianos acadêmicos, também trabalhei em vários projetos junto com ele. Especialmente quero destacar que no ano passado ele foi uma peça fundamental dos trabalhos de levantamento de dados sócioeconômicos para as apresentações do projeto de duplicação da BR 376 e ligação com o Estado do Mato Grosso do Sul, numa parceria entre a reitoria da Unespar e a Sociedade Civil de Paranavaí-Pr e região.

O professor Leonello além das disciplinas que ministrou, também teve uma longa carreira sendo consultor no Sebrae, Senai, Programa Universidade sem Fronteiras, Bom Negócio e contribuir para melhorar a vida de muitas pessoas, especialmente pequenos empresários e pequenos agricultores.   

É com muita tristeza que escrevo essas palavras e lamento profundamente uma pessoa partir assim tão cedo e que tinha tanto a contribuir e que era grande amigo. Que Deus receba sua alma, que ele enfim descanse em paz e que a família (Val , Guilherme e Arthur) recebam  o conforto apesar da grande dor.  

sexta-feira, 11 de maio de 2018

VISITA A ASSOCIAÇÃO ARANDU ATY_ARAY (TERRA INDÍGENA VERÁ TUPAI)





Extraído do Facebook do Vereador do PT de Campo Mourão Professor Cícero:

No último dia 10/05, visitamos a Associação ARANDU ATY_ARAY (Terra Indígena Verá Tupai); fomos recebidos pelo Cacique Mbei Mbei Tupã (Emiliano Medina) e sua esposa Jaxy Rendy (Nilza Maria Rodrigues). Na ocasião, estivemos com o Professor João Marcos (Diretor do Campus de Campo Mourão da Unespar), Professor Sergio Luiz Maybuk (Controlador interno da UNESPAR), Professora Gisele e a Professora Zilda do Departamento de Geografia e do Grupo de pesquisa MECAPECAM.
Durante a reunião discutimos algumas necessidades específicas da Aldeia, como a instalação de um poço artesiano, e a ampliação de espaços de criação de aves e plantações de hortaliças, além de melhorias na estrada que dá acesso à Terra Indígena Verá Tupai.
Também acertamos alguns detalhes para o lançamento do livro escrito em conjunto pelo Cacique Emiliano, sua esposa Nilza e a Professora do Departamento de Letras da UNESPAR e ex diretora da FECILCAM Professora Sinclair Casemiro.
A Associação ARANDU ATY_ARAY (Terra Indígena Verá Tupai) já existe há 8 anos no Município de Campo Mourão. Localizado na região do Barreiro das Frutas, o grupo que ali reside, atua com a agricultura de subsistência em formato de coletivo e associação indígena.
Agradecemos a acolhida do Cacique Emiliano e de sua esposa Nilza. Fica firmado nosso compromisso de luta por melhorias para a comunidade e aplicação de políticas públicas para os nossos povos nativos indígenas.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

FEIRA DO MST EM SÃO PAULO REÚNE 260 MIL PESSOAS EM QUATRO DIAS.

Belíssimo texto e testemunho do jornalista Paulo Moreira Leite sobre os quatro dias de feira do MST em São Paulo. 260 mil pessoas passaram por lá. CLIQUE AQUI para ler.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

JORNALISTA CONTESTA PÚBLICO DIVULGADO PELA POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ

Acabei de ler uma matéria do conceituado jornalista Ricardo Kotscho que tem 69 anos e já trabalhou em vários meios de comunicação e já foi contemplando com prêmio na ONU. 

Ele escreve duvidando da contagem da Polícia Militar do Paraná que atribuiu a um "mar de gente" apenas 5 mil pessoas no manifesto de 1º de maio. Ele diz que não estava no evento mas as fotos e imagens dos vídeos não deixam dúvidas de que havia muito mais gente que a informação da imprensa.

Eu estava presente no evento e posso testemunhar que sem dúvida alguma tinha muito mais gente e em determinados espaços era impossível de passar.

Ficar discutindo números de público, pode parecer uma bobagem mas não é. Serve de "termômetro".

Entendo que sempre os promotores de qualquer evento costumam aumentar o número e os opositores tentam diminuir ao máximo o mesmo e aí, espera-se o pronunciamento da PM para acabar com o impasse.

Estamos vivendo tempos muito estranhos em que juíz de primeira instância e presidente do STF atuam politicamente ao invés de julgarem como a justiça pede e isso é perigoso para toda a sociedade.

Quando uma Instituição respeitada que tem 164 anos de existência pode ser acusada de agir politicamente na contagem de público isso não é bom e gera insegurança. Eu prefiro acreditar que foi apenas um grande erro matemático ao não retratar a realidade de público do evento. 

CLIQUE AQUI para ler a matéria.

sábado, 28 de abril de 2018

LEMBRANDO O 29 DE ABRIL - CAMPANHA RICHA NUNCA MAIS







Agora de manhã no centro de Campo Mourão relembrando o massacre contra os professores e na campanha justa de Richa nunca mais.