quinta-feira, 16 de agosto de 2018

MINHA PARTICIPAÇÃO NO II ENDER DA UNESPAR







Ontem, 15 de agosto de 2018 foi um dia importante para mim.

No período da tarde trabalhei na condição de monitor no II ENDER - Encontro Interdisciplinar de Desenvolvimento Regional.

O evento promovido pelo Grupo de Pesquisa Gera do qual faço parte, sediado na UNESPAR, campus de Campo Mourão  é compreendido de palestras e comunicações orais de trabalhos científicos oriundos de pesquisa e/ou extensão. O II Ender se encerra hoje e começou no dia 14 de agosto de 2018, no campus da Unespar em parceria com a Unicampo, com o tema “Políticas públicas para o desenvolvimento Territorial”.

Vale destacar o exaustivo trabalho de organização do evento, da líder do Grupo Gera, professora dra Aurea Andrade Viana de Andrade, da Jocimara Maciel Correia e do Joab Jacometti de Oliveira, que ontem foi meu auxiliar e aparece na quinta foto da publicação.

 Foram várias apresentações e um belo debate envolvendo profissionais graduados e graduandos nas áreas de  arquitetura, economia, geografia e história. As áreas misturadas deram um grande resultado.

Os trabalhos da tarde foram:

Análise morfométrica: Bacia hidrográfica do Ribeirão Água Branca no município de Janiópolis - Pr . Autores:  Carla Munique de Lima e Paulo Henrique Loterio.

A Praça de uma pequena cidade: a estrutura, processo, forma e função.  Autores: Carla Munique de Lima e Marcos Clair Bovo. 

A mobilidade urbana e seus desafios contemporâneos para o desenvolvimento da sociedade. Autores: Anderson Franciscon, Paulo Sérgio Gusmão, Fábio Costa Rodrigues e Maria Izabel Rodrigues Tognato.

A pequena cidade de Terra Boa (PR): reflexões sobre os vazios urbanos na área central. Autores: Marcos Clair Bovo e Paulo Sérgio Gusmão.

Mobilidade urbana na pequena cidade de Terra Boa (PR) - uma análise da área central. Autores: Marcos Clair Bovo e Paulo Sérgio Gusmão.

Um olhar sobre os espaços públicos  de Terra Boa (PR): o caso das praças. Autores: Marcos Clair Bovo e Paulo Sérgio Gusmão.

No período da noite (ver as duas últimas fotos)  meu orientando de Iniciação Científica  Rodrigo Lucas Hort apresentou o artigo que escreveu comigo intitulado "Análise Nacional  do Programa Nacional  de Alimentação Escolar (PNAE) - Perído 2013 a 2015. Sendo necessário registrar que a primeira parte  da orientação do trabalho foi conduzida pelo professor dr. João Carlos Leonello que infelizmente nos deixou nesse ano.  

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

DIA DO ECONOMISTA E 24 ANOS DE GRADUAÇÃO

Hoje o editor do Blog do Maybuk, comemora o dia de sua formação acadêmida (Ciências Econômicas) e por coincidência 24 anos de formação.

domingo, 12 de agosto de 2018

POESIA "NOITE" ESCRITA POR JOSÉ LUIS SILVA


O Blog do Maybuk é um incentivador de escritores e escritoras. Combinei com o escritor, poeta e ator mourãoense José Luis Silva simpatizante da AME - Associação Mourãoense de Escritores, que publicarei uma poesia dele todo domingo e assim os internautas começarão a semana pensando em poesia. E aí vai a poesia de número 7:




Eu sempre achei a noite sombria
Dela tinha muito medo
Parecia que todas as maldades
Concretizavam-se no apagar do sol
Procurei algumas respostas para
Essa ideia de demonizar a escuridão
Talvez por ela ser negra,
E acreditar que espíritos vagavam
E assombravam os vivos,
Sei lá; um dia comecei
Atribuir qualidades para ela
E constatei que sou amante da noite
Amo as noites;uma a uma,pois
A noite é perene, já que
É a presença solar que a afeta
Por isso ela é mágica, permissiva
Está sempre acompanhada
De planetas, estrelas e a lua,
Eterna inspiração dos amantes
Está sempre repleta com o seu
Silêncio de barulho de possibilidades
Fazendo-nos sonhar e concretizar
As mais loucas das loucuras
Ela nos empodera, perdemos o medo
Fabricamos as mais lindas declarações
Acompanhada do mais fino
Dos vinhos e dos champanhes
Porque
Noite combina com tudo isso
Mas tudo isso sem você
Não é noite
É apenas mais um dia
Venha viver
Essa noite
Que nunca
Termina


JL/ 12.07.2018
23:50

PAI - PAIXÃO AO INFINITO


PAI - PAIXÃO ÃO AO INFINITO
Há quem tenha dito que só se aprende ser filho, sendo pai
Há quem ainda afirme que só aprende ser pai, sendo avô
Não tenho certeza se é por esse caminho que a análise vai
Só sei que no meu caso, sendo pai, tudo se tornou novo.

Vejo meu pai com outros olhos e tenho problema de consciência
Caramba, quantas angústias devo ter proporcionado no tempo de menino
Hoje entendo as alterações de voz e aquelas faltas de paciência
Um pai só quer o melhor para o filho e parece querer guiar o seu destino.
Quantas coisas pedi, e o obriguei a comprar muitas vezes se ele ter a condição
Quantas decepções devo ter provocado, por não atender seu sábio pedido
Quantas vezes machuquei, sem perceber, aquele sofrido coração
Bastava ter ouvido seu conselho e sem orgulho e com amor tê-lo atendido.
Acredito também, oh! como espero, em certos momentos ter-lhe dado orgulho
Afinal, entre dezenas, centenas e milhões de filhos, um pai só enxerga o seu
Acredito também, que em certos momentos de felicidade ele tenha feito barulho
Para que todos em sua volta e quiçá o mundo, tenham percebido o que se sucedeu.
Enfim, entre os constantes erros e acertos o que vale é o viver e sentir
É saber que de alguma forma, estava escrito nas estrelas o encontro espetacular
É saber que independente do que foi e do que será e pelo o que ainda há de vir
Agradeço a oportunidade, o prazer e a doçura, do meu jeito, de sempre poder te amar.

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

POEMA ESCRITO POR SANDRO ADRIANO DA SILVA EM AGOSTO DE 2018

O Blog do Maybuk é um incentivador de quem desejar divulgar alguma poesia para aliviar a alma.

Hoje publico mais um poesia do professor  Sandro Adriano da Silva  do Colegiado de Letras da Unespar campus Campo Mourão-Pr.

Um poeminha do contra como o próprio autor de me disse.


eu sou indolente
na rede
de frente pro mar
no dia do ócio
(até deus descansou)
malandro trigueiro de todas as cores
sem ginga no pé
driblando a crise
que não faz continência.
general, o brasil tem alma macunaímica
ai, que preguiça!
o senhor não leu a História
e nem a estória
verde amarela no fundo do mato virgem
não marcha direito
mas sai do quartel
sem chance de ser
herói de nossa gente
e muito menos
a Ursa Maior.   


domingo, 5 de agosto de 2018

POESIA "NÃO ERA EU, NÃO SOU EU" ESCRITA POR JOSÉ LUIS SILVA

O Blog do Maybuk é um incentivador de escritores e escritoras. Combinei com o escritor, poeta e ator mourãoense José Luis Silva simpatizante da AME - Associação Mourãoense de Escritores, que publicarei uma poesia dele todo domingo e assim os internautas começarão a semana pensando em poesia. E aí vai a poesia de número 6:

Não era eu, não sou eu
 
Muitas vezes naveguei
Sem por que, sem saber
Passei tempestades
Firme no leme
Tempestades
Fomes e privações
Um pouco de alegria também
E sempre firme no leme
Não sabia o porquê
Mas navegava
Encontrei caminhos
Fiquei perdido
Solto na imensidão
Não sei por quê
Mantinha-me firme no leme
Conheci, desconheci,
Achei-me, perdi-me
Incontáveis vezes
Da certeza para dúvida
Era um vento
O céu e o inferno
Lado a lado
Lado a lado não, opostos
Um dia subia
No outro descia
Um dia descia 

No outro subia
De tanto subir e descer
Não reconhecia mais
Nem um nem o outro
Consciência perdida de mim
Agora pleno de consciência
De mim, não entendo
O porquê de manter
Firme no leme
Se eu não era eu
E eu não sou eu
Por que me manter
Firme no leme
Cheio de dúvidas
Perdido na imensidão
Dos pensamentos
Estou cansado
O que era certo
Virou pó
Ficou vazio
Esvaziei-me
Murchei
Soltei o leme!!


Jl/13.05.2018
 

EU APLAUDO E PASSO O CHAPEU PARA O TROMPETISTA FABIANO

Somente para os companheiros e companheiras que ficam felizes, com os lindos acordes do tromPETISTA Fabiano, que anda causando alvoroço nos locais em que se apresenta. A jornalista Tânia Mandarino alerta que ele faz um trabalho que nos agrada, mas está desempregado e tem dois filhos para criar e pede além do aplauso que coloquem a moeda no chapéu.CLIQUE AQUI para ler.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

NADA COMO O TEMPO PARA VER QUEM RI POR ÚLTIMO

Nada como o tempo para ver quem ri por último.
O baladeiro Aécio Neves agindo como um garoto mimado, perdeu a eleição e trabalhou ativamente pelo golpe.
Agora para não envergonhar ainda mais o PSDB, vai disputar uma vaga na câmara federal em vez do Senado.
E quem, segundo todas as pesquisas deverá vencer uma das vagas no Senado em Minas Gerais, é nada mais nada menos que a golpeada Dilma Rousseff.CLIQUE AQUI para ler.

domingo, 29 de julho de 2018

POESIA "EU NÃO TENHO MAIS VOCÊ" ESCRITA POR JOSÉ LUIS SILVA

O Blog do Maybuk é um incentivador de escritores e escritoras. Combinei com o escritor, poeta e ator mourãoense José Luis Silva simpatizante da AME - Associação Mourãoense de Escritores, que publicarei uma poesia dele todo domingo e assim os internautas começarão a semana pensando em poesia. E aí vai a poesia de número 5:

Eu não tenho mais você.

Fico imaginando como
Serão minhas noites
Intermináveis e frias
Eu não tenho mais você
Não ouvirei o doce
Timbre da sua voz
Em oração nas manhãs
Não tomarei do seu suco
Eu não tenho mais você
Por conta da insegurança
Muitas vezes da perdida
Criança não compreendi
A alma inquieta em busca
De respostas não respondidas
Acumularam se uma a uma
Por debaixo de um denso
Tapete, ah se soubesse
Queimaria todos eles
Um a um sem distinção
Acometi dos mais terríveis
Medos fui fraco corri
Dos debates com medo
De perder e perdi mergulhado
No mais longo silêncio de tudo
No vazio das ausências
Fica a saudade de tantos anos
O respeito e a estrada tudo
Isso acompanhada da saudosa
Sensação que eu não tenho mais
Você.
Jl 22.07.2018
18:00

sábado, 28 de julho de 2018

SARAU DA AME - JULHO DE 2018

 
 




















 
No  dia 21 de julho de 2018, a AME, Associação Mourãoense de Escritores (Coordenação  Fátima Saraiva e Fátima Braga)  em conjunto com a Biblioteca Pública Professor Egydio Martello (Coordenação Luciana Demetke)  promoveu um Sarau Literário , com expressões em forma de poesias, poemas e prosas . Foram horas agradáveis com bom texto de autoria própria e de autoria de grande autor. Foi um momento mais curto do que em outras ocasiões e boa parte foi dedicado ao preparativos finais do Lançamento da Coletânea Caminhos in Versus VII, que será realizado no dia 31 de agosto às 19h30. 
 
Ainda assim, aconteceu três momentos especiais, o primeiro foi a bela intervenção da escritora Silvia Fernandes, que ficou dois meses na África do Sul e leu, com aquela voz maravilhosa,   um lindo texto (que será publicado em revista local) demonstrando sua percepção do lugar.
 
O segundo momento foi a apresentação de vários desenhos da jovem  Izabelle Marrie de Carvalho que tem um grande talento e já ilustrou o livro da escritora, sua mãe, Silvania Maria Costa Carvalho intitulado "A incrível aventura de Ser". Todos os presentes aconselharam a jovem a fazer uma exposição de seus desenhos na Biblioteca Municipal que a tornará conhecida e poderá ilustrar outros tantos livros se for requisitada. 
 
O terceiro momento foi a intervenção da irmã da Izabelle a Tayene de Carvalho de um texto do livro "Contos do Voltaire", o que deixou todos os mais velhos ali felizes por ver o interesse da juventude na leitura.