quinta-feira, 25 de maio de 2017

HIPOCRISIA DA MAIORIA DOS BRASILEIROS

Excelente texto do Mário Magalhães. Triste do país onde depredação é escândalo, mas massacre de dez posseiros não.

Separei um parágrafo que mostra a hipocrisia da imensa maioria dos brasileiros: 
Essa constatação não implica endossar os danos ao patrimônio dos cidadãos, que acabarão por pagar a conta. Mas ajuda a compreender o contexto da radicalização. Quem é mais vândalo: o indivíduo que atira uma pedra em vidraça de ministério ou um governante que combina propina de 500 mil reais por semana, a ser embolsada durante 30 anos? CLIQUE AQUI para ler. 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

PROJETO DUPLICAÇÃO DA BR 376 DE PARANAVÁI-PR ATÉ O MATO GROSSO DO SUL

Encontrei na internet. Fora a presente matéria, informo que a Unespar com o referido projeto já esteve presente em Campo Grande-Ms, em Curitiba-Pr em reunião com o secretário de infraestrutura e logística do Paraná José Richa Filho. Dia 29 de maio haverá uma reunião com a diretoria do DER em Curitiba e dia 02 de junho a apresentação do projeto na AMUNPAR - Associação dos municípios do noroeste paranaense. CLIQUE AQUI para ler.

AGORA ESTÃO CLARÍSSIMOS OS MOTIVOS DE DERRUBAREM A DILMA SEM CRIME

Agora estão claríssimos os motivos de derrubarem a Dilma sem crime. CLIQUE AQUI para ler.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

ELEIÇÃO NA UNESPAR CAMPUS DE CAMPO MOURÃO

Hoje encerramos mais um processo eleitoral na Unespar campus de Campo Mourão.
A chapa que apoiei professores Aurea Viana e Paulo Gonçalves perdeu por 56% a 44%.
Praticamente empatou nos agentes universitários, perdeu nos professores e venceu nos alunos que na maioria compreenderam as propostas da chapa.
Aprendi com um amigo logo que entrei na Instituição, de que sempre devemos nos manifestar e mostrar em que chapa votamos. Se ela vence ninguém terá dúvida e se ela perde, têm-se o agradecimento do apoio de quem perdeu e o respeito de quem ganhou pela coragem da manifestação.
Logo após o resultado cumprimentei o vencedor professor Joao Marcos Avelar que aliás, é amigo de longa data e desejei sucesso na gestão que fará dupla com o professor Carlos Nilton Poyer. Na passada perdeu e agora venceu. É do jogo.
Quanto a chapa que apoiei, preciso ressaltar que tive o maior prazer em apoiar naquilo que foi possível.
Foi uma dupla que se formou alguns dias antes das inscrições e tinha muita sintonia. Ele mais contido, característica de alguém com formação em direito e ela apaixonada, intensa, cheia de ideias e com vontade de fazer e pautou o debate. Vai contribuir para o crescimento do campus e da universidade como um todo.
Toda a comunidade acadêmica ganhou com o processo que transcorreu de forma tranquila. Valeu a pena ter participado intensamente de mais um pleito.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

BELÍSSIMA HOMENAGEM AO GRANDE BRASILEIRO ANTONIO CANDIDO

Uma belíssima homenagem ao grande brasileiro Antonio Candido CLIQUE AQUI para ler.

REUNIÃO CONJUNTA DOS CONSELHOS UNIVERSITÁRIOS DAS IEES PR - CARTA DE LONDRINA


As Comunidades Acadêmicas das sete Universidades Estaduais do Paraná, representadas pelos Conselheiros integrantes dos Conselhos Universitários de todas as Instituições Estaduais de Ensino Superior (IEES) do Paraná, integrantes do Comitê Estadual em Defesa do Ensino Superior Público do Paraná e demais integrantes do corpo docente, de agentes universitários e de estudantes das nossas Instituições, reunidos na Universidade Estadual de Londrina, em 11 de maio de 2017, apresentam sua manifestação em relação ao contexto de constantes ataques sofridos por atos de gestão do Governo do Estado, consubstanciados em Decretos, Resoluções e atas de reuniões, atos esses sem validade legal, na medida em que contrariam o princípio constitucional da Autonomia Universitária prevista nos artigos 207 da Constituição Federal e 180 da Constituição Estadual.

Lamentam, as comunidades acadêmicas das Universidades, que este ataque por atos normativos venha acompanhado de um discurso estruturado de contrapropaganda que objetiva convencer as demais estruturas de governo e a própria sociedade de que nossas Universidades representam um peso ao orçamento do Estado e que nelas falta transparência na gestão. Pior ainda é esse discurso ser assumido por outros órgãos de Estado, como o Tribunal de Contas, que também em seus discursos e práticas têm exigido o cumprimento de atos inconstitucionais e submetido os gestores das Universidades a condenações com o objetivo de intimidar a prática de atos amparados pelas disposições das Constituições.
Para restringir a apenas dois aspectos mais recentes desse ataque, um do Governo e outro do TC, cumpre-nos destacar a ação que objetiva descaracterizar o TIDE docente como Regime de Trabalho e firmá-lo como gratificação de caráter transitório. Tal medida, assentada na interpretação forçada da lei, pode ferir de morte a estrutura desse sólido sistema de Educação, Ciência e Tecnologia, conduzindo à precarização do trabalho com regimes parciais de atuação docente, transformando as Universidades em instituições unicamente de ensino, sem possibilidades do desenvolvimento da pesquisa, da extensão e da inovação.
Reafirmam que o sistema de ensino superior do Estado é um PATRIMÔNIO DO POVO DO PARANÁ que não pode ser destruído por discursos e práticas que ataquem as bases de um sistema solidamente construído, ignorando todos os resultados apresentados por nossas instituições ao longo do tempo, inclusive os resultados econômicos e a geração de riquezas que resultam em receitas ao tesouro do Estado.
Outra iniciativa, oriunda do Governo e apoiada pelo TC, é a inclusão das universidades no sistema RH Paraná META 4, sob a falácia de que falta transparência em nossas Instituições. O referido sistema objetiva implantar práticas de controle que desrespeitam a autonomia administrativa, financeira e de gestão definida pelas constituições federal e estadual. A transparência que se reclama está assegurada pelo repasse mensal de todas as informações de pessoal que é feito pelas Universidades diretamente à Secretaria de Administração em formato definido pela própria secretaria. Além disso, os portais da transparência de nossas Instituições deixam claro os pagamentos realizados a cada um dos servidores; e temos sistemas de gestão de pessoal em nossas Universidades que são nucleadores de um conjunto de sistemas de gestão que superam em muito a qualidade do META 4. Se falta transparência é sobre como e quanto o Estado paga por este sistema de folha de pagamento que pertence a uma empresa espanhola e quanto teve que investir para poder incorporar os servidores das universidades.

Neste sentido, a comunidade acadêmica do Estado do Paraná, composta por mais de 100 mil pessoas, reage a este estado de coisas reafirmando a defesa inconteste do princípio constitucional da autonomia universitária e, como tal, dentre outras ações, não aceitará a adoção do META 4 em nome da falácia da falta de transparência, nem outras medidas de ataque ao patrimônio material e moral que representam nossas instituições exigindo a tomada de providências para que a UENP e a UNESPAR sejam retiradas do sistema META 4 e possam assumir a plena gestão institucional, sujeitas à fiscalização do Estado nos termos da lei. Da mesma forma, reafirmamos a defesa do teor do Ofício 68/2017-APIESP que, com vasta argumentação técnica e jurídica, requer a revogação imediata do Ofício CEE/CC 310/2017, bem como da deliberação 01/2017-CPS, na medida em que se entende que o encaminhamento dos dossiês solicitados pela deliberação supra referida viabiliza a implantação do META 4, que fere a autonomia Universitária.

Londrina, 11 de maio de 2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

A QUEDA DE ADMIRAÇÃO PELO SÉRGIO MORO

Como as coisas vão mudando. Até dias atrás o Sérgio Moro era endeusado. Depois com o tempo, por causa de suas arbitrariedades e interpretação própria da lei, contra o que diz a constituição vem perdendo apoio de forma significativa. Agora leio uma notícia que deve constranger o magistrado. Ocorre que o professor associado de direito processual penal da UERJ Afrânio Silva Jardim, que terá um livro escrito por juristas em sua homenagem, depois do interrogatório do Juiz no dia de ontem, solicitou de público aos organizadores da obra que retirem o texto escrito por Sérgio Moro. CLIQUE AQUI para ler.

sábado, 6 de maio de 2017

LIVRO "A INESQUECÍVEL OLGA BENÁRIO

Olga Benário é uma é pessoa que deveria ser conhecida e admirada por todos.


Quando li o livro "Olga" do Fernando Morais. Me apaixonei por ela e comecei a falar para as mulheres que conheço, especialmente minhas alunas, que toda mulher deveria ler o livro. Ela teve a coragem e a vontade de transformar mesmo nos dias antes de ser sorteada para morrer na câmara de gás.
 
Agora soube que sua filha Anita Leocádia Prestes que é graduada e mestre em química pela UFRJ, doutora em economia e filosofia pelo Instituto de Ciências Sociais e Moscou e finalmente doutora em História Social UFF vai lançar a narrativa biográfica de Olga. Com certeza imperdível.
 CLIQUE AQUI para ler.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

TRÊS MOMENTOS COM BELCHIOR

Hoje Belchior, um dos maiores compositores do Brasil está sendo velado no Ceará seu Estado de nascimento.

Publico em sua homenagem três momentos que encontrei na internet.

O primeiro, uma linda homenagem do gênio Chico Anysio no programa Som Brasil do  Rolando Boldrin . Já assisti umas mil vezes  CLIQUE AQUI para assistir. 

O segundo,  para amigos e amigas da área de letras, em especial  Adriana Beloti, Alex Dancini, Antonio Carlos Aleixo, Cassio Ceniz, Marileuza Ascencio Miquelanti e Vilma Terezinha de Souza Pinto    que é uma antiga entrevista que o professor Pasquale fez com Belchior CLIQUE AQUI para assistir.

O tercerio, é um  prato de delícias para todos nós, uma coletânea com vinte grandes sucessos  do Belchior CLIQUE AQUI para apreciar.


quinta-feira, 27 de abril de 2017

SEU JULIO MAYBUK E INÊS MAYBUK - 50 ANOS DE UNIÃO

 FOTO: SEU JULIO E DONA INÊS NO DIA 27/04/1967
 FOTO: SEU JULIO E DONA INÊS 50 ANOS DEPOIS
 FOTO: SÉRGIO LUIZ PRIMEIRO FILHO NASCIDO EM 1968 AO LADO DA MÃE
FOTO: DA ESQUERDA PARA DIREITA ROSE MARI FILHA NASCIDA EM 1969;
ROSANE FILHA  NASCIDA EM 1975;
GIORDANO BRUNO NETO NASCIDO EM 1998
BEATRIZ NETA NASCIDA 2004
DONA INÊS MÃE E AVÓ

Era uma vez uma linda história que começava.

Em Prudentópolis-Pr, nasceu o menino Francisco Maybuk
Em Água Doce Distrito de Pitanga-Pr, nasceu a menina Salomeia Iareski,
Eles cresceram, se conheceram, casaram e tiveram dois filhos e um deles era o menino Julio nascido em 1941. 

Em Balsa Nova-Pr, nasceu o menino Antonio Michalski.
Em Rebouças-Pr,  nasceu a menina Maria Tereza Solda
Eles cresceram, se conheceram, casaram e  tiveram vários filhos e dentre eles tinha uma menina chamada Inês nascida em 1945.

Havia duas comunidades que faziam divisa, se não estou enganado, Macacos que é Distrito de Roncador-Pr e Água Doce Distrito de Pitanga-Pr.

Quis o destino que o agora rapaz Julio e a agora moça Inês,  que nasceram em plena guerra mundial, se encontrassem e casassem e formassem uma bela família.

Talvez, por causa do nascimento em plena segunda guerra mundial , nasceram deles, três filhos rebeldes rsrs, que nunca têm medo de expressar suas opiniões, que são intensos naquilo que fazem, e que vieram para causar, afinal, até a bíblia atesta que as pessoas devem ser frios ou quentes, jamais mornos.

O Sérgio Luiz nasceu em 1968 em Campo Mourão-Pr, a Rose Mari em 1969 em Pitanga-Pr e a Rosane em 1975 em RoncadorPr. Depois ainda apareceram os netos Giordano Bruno nascido em 1998 em Ubiratã-Pr e Beatriz nascida em 2004 em Curitiba-Pr, para encantarem a família e  virarem a cabeça dos avós, afinal de contas alguém disse que neto é filho com açúcar.      

E a vida do casal teve suas alegrias e suas tristezas. Muita luta para sobreviver.

O seu Julio lutou como um leão para dar conforto à família. Dona Inês sempre foi uma guerreira trabalhando, cuidando da casa e dos filhos e depois dos netos em certas ocasiões.

O seu Júlio teve várias atividades econômicas, teve bar, fez roça, foi taxista, foi caminhoneiro .

A dona Inês costurava para fora  e cuidava do lar com maestria.

O seu Julio batalhou muito para ter a primeira casa própria, antes disso, teve que se mudar umas vinte vezes de casa alugada. Depois fez a primeira casa, linda, bem pintada, cheirosa. Os filhos Sérgio Luiz e Rose Mari devem se lembrar de rolarem no chão antes da mudança chegar naquele piso de madeira com sinteco. Depois  o seu Julio vendeu aquela casa, construiu outra depois vendeu e construiu a atual, que não é uma mansão, mas é confortável e tem um jardim belíssimo, com flores e agora armação para trepadeira que brevemente vai encher os olhos dos passantes. Tudo obra do seu Julio, homem honesto que gosta de conversar e adora trabalhar a terra.

O seu Julio tinha que arranjar dinheiro para tudo, além da alimentação, tinha os remédios, os pedidos que eram tantos dos filhos, que hoje depois de adultos devem se perguntar se algumas coisas que pediam não eram exagero e não tinham noção de que o recurso era curto.

Mas tinha também as cobranças, os filhos tinham que cortar lenha para o fogão, varrer a casa, lavar a louça (com pouquíssima idade os dois mais velhos já ficavam em cima de uma cadeira perto da pia). A mais nova já veio numa fase melhor mas também teve suas ocupações.

Além da exigência dos afazeres domésticos, tinha a cobrança permanente das tais notas boas no colégio. Hoje os filhos agradecem, com certeza.

A dona Inês é aquela figura fantástica que todo mundo gosta, muitas pessoas de Roncador-Pr que moram lá ou hoje estão em outras localidades, poderão testemunhar, que aquele pão maravilhoso que ela faz é motivo de se empanturrar e lembrar-se do nutricionista rsrs.  

Além dos pães, da comida, do café (opa café é especialidade do seu Julio) ela por ser costureira fez muita coisa para ganhar dinheiro, mas também para atender as maluquices dos filhos.  Por exemplo, era para pregar número de camisa naquele monte de camisas do time do Sérgio Luiz (hoje as camisas de futebol já vem com número, naquele tempo não). Outro exemplo eram as tais roupas para as quadrilhas de festa junina ou aquelas tantas fantasias de carnaval que enchiam a casa dos Maybuk de moços e moças vindos de todo o lado.

Com certeza muita coisa está presente no casal que hoje completa 50 anos de união. Uma história de amor, de cumplicidade, de brigas (faz parte do processo rsrs), de aturação mútua rsrs, de companheirismo, de religiosidade, de preocupação permanente com os filhos.

Quando o seu Julio chega em casa e vai para um cômodo e outro e não encontra a dona Inês já bate o desespero. Quando a dona Inês viaja, logo fica dizendo como está o Julio  lá em Roncador-Pr?
Enfim, depois de cinquenta anos de convivência não dá para negar que um vive para o outro.

Os filhos e netos devem estar orgulhosos e agradecendo à Deus por fazerem parte da família Maybuk.

DISCURSO DO PROFESSOR MÁRIO DE LIMA - FORMATURA DA UNESPAR CAMPUS CAMPO MOURÃO 2017

Magnífico reitor da UNESPAR...
Diretor do Campus...
Demais autoridades presentes
Caríssimos colegas professores, agentes universitários....
Senhoras e Senhores
Boa noite a todos

Ser paraninfo esta noite para mim é uma grande honra, pois há coisas na vida que não se repetem. São sempre como se fora a primeira vez. Ser paraninfo de uma turma como a de vocês é uma delas. Assim como a flecha lançada não tem volta, esse é um momento único.

Gostaria de dizer a vocês nessa hora algumas coisas que talvez possam ajudá-los a viver uma vida boa, uma vida ética, uma vida feliz.

Hoje encerra-se a longa fase de preparação do ensino superior de vocês, mas é importante lembrar que esse ensino começou em casa, prosseguiu no ensino fundamental, depois no ensino médio e culminou no ensino superior nos cursos de administração, ciências econômicas, ciências contábeis, engenharia de produção agroindustrial e turismo e meio ambiente.

Hoje tenho a felicidade de ser o porta voz de todos os seus professores, desde os que lhes ensinaram as primeiras letras até aos meus ilustres colegas da universidade, por isso dou-lhes os parabéns pelo notável êxito.

Mas, se faz necessário e é importante lembrar que antes dos professores, estão os seus primeiros mestres a falar as primeiras palavras, a construir as primeiras frases, que lhes ensinaram a brincar, os que lhes transmitiram os mais altos valores culturais, morais e éticos de cada um de vocês, que são os seus pais. Quero neste momento estender todas as homenagens a eles.

Na minha vida profissional trabalhei como contador na pequena, média e grande empresa, mas foi como professor, em sala de aula, que me realizei profissionalmente. Como dizia Cora Coralina: Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.

E, realmente o professor tem essa oportunidade de transferir os ensinamentos que adquiriu ao longo de sua vida e no mesmo ato aprender com as trocas de ideias com os alunos.

Como professor, posso dizer que aprendi muito com vocês. Tive o prazer de transmitir o conhecimento e a oportunidade de poder formar novos profissionais, que seguramente em breve estarão superando os seus mestres.

Durante a minha vida acadêmica, tive a oportunidade de lecionar várias disciplinas, mas teve uma disciplina no último ano de contábeis que chama-se Ética e Legislação profissional, onde podíamos discutir os problemas éticos da profissão e no mesmo ato correlacionar os casos éticos tão evidente em nosso país.

Estudos científicos mostram que cada ser humano é um ser único. A probabilidade de alguém ter exatamente o mesmo genoma que você é zero. 

Esses mesmos estudos dizem que é impossível afirmar que um indivíduo é inferior ou superior a outro. A diferença entre uma pessoa que tem o poder para apertar o botão de um míssil nuclear e aquele que limpa o chão de uma fábrica é apenas a informação do conhecimento.

Concluir um curso superior é um grande triunfo, de que poucos podem orgulhar-se, no entanto vocês podem. Vocês estão chegando a um lugar que poucos brasileiros chegam. Ao longo desses anos vocês estudaram, por isso vocês são detentores de informações. Aproveitem bem essas informações e façam bom uso delas.

Queridos afiliados sejam humanos, sensíveis às injustiças que se apresentarão a vocês e tentem corrigi-las. Não precisam ter a ilusão de que podem mudar o mundo, mas nas suas profissões vocês terão oportunidades de mudar o mundo de algumas pessoas. Portanto, façam isso.

Busquem sempre fazer o que é ético e lutem por justiça, por um mundo mais equânime. Lembrem-se do genial Charles Chaplin, onde ele diz: Não sois máquinas, homens é que sois. Isto é, seres humanos é o que sois.

Há um texto bíblico, que diz: Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, nada serei. Portanto, caros formandos, não podemos esquecer o amor ao próximo, que é o sentimento de fraternidade. Ajudar as pessoas quando elas precisarem, sejam generosos. Ajudar ao próximo, nos exige: doação, amor e fé. São atos que nos trazem enormes benefícios.

No balanço final da vida, nós seremos julgados pela ajuda ao próximo. A verdadeira felicidade está na doação e amor ao próximo. De nada valem nossas conquistas materiais ou pessoais se não acrescentar algo nas nossas vidas.

Vocês concluíram mais uma etapa de suas vidas, depois de alguns anos, frequentando os bancos escolares. Cada um de vocês tem plena consciência da sua missão, como profissional, como ser humano, como responsável para o desenvolvimento social, econômico e principalmente para o desenvolvimento sustentável deste país.

Fernando Pessoa nos diz: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Queridos afiliados, valorizem o seu trabalho, por mais simples que ele seja, pois ele será muito importante na sua vida. É somente através do trabalho, que nós iremos constituir uma família, adquirir bens materiais, enfim, é somente através do nosso trabalho que nós poderemos desfrutar as conquistas que almejamos.

Não esquecem da importância do vosso trabalho, mas também não esqueçam de colher os frutos desse trabalho, viagem, conheçam novos lugares, novas pessoas, isto é ser feliz. Lembrem-se que a felicidade tem mais a ver com atitudes do que com circunstâncias.

Para concluir, busco em Platão, onde ele disse: Tente mover o mundo, mas o primeiro passo será mover a si mesmo. Portanto, profissionalmente se for necessário, não tenham medo de tentar, de recomeçar tudo novamente. Voem alto, só assim vocês encontrarão o seu próprio caminho. Assim, tenho certeza, serão felizes.

Deus os abençoe e tenham muito sucesso!

Muito obrigado.

Prof. Me. Mario de Lima

domingo, 23 de abril de 2017

DISCURSO DA PROFESSORA MARIA JOSÉ PEREIRA FORMATURA DA UNESPAR CAMPUS CAMPO MOURÃO 2017

DISCURSO PARA OS FORMANDOS DAS LICENCIATURAS DA UNESPAR – CAMPUS DE CAMPO MOURÃO DO ANO DE 2016

Magnífico Reitor da UNESPAR – Universidades Estadual do Paraná
 Profº Antônio Carlos Aleixo
Diretor da UNESPAR – Campus de Campo Mourão
Profº Eder Rogério Stela
E demais autoridades já nominadas.
Caríssimos colegas professores, agentes universitários, formandos e familiares aqui presentes.
É com imenso prazer que me dirijo a vocês com duas finalidades :
1) Agradecê-los pelo título de honra a mim atribuído neste momento tão importante da vida dos formandos e seus familiares, bem como, os de seus professores.
Dedico a todos os meus colegas de trabalho esta homenagem, pelo apoio e ajuda na nobre tarefa de ensinar.
2) Lembrá-los do compromisso que temos e que vocês formandos, em especial, terão com a sociedade e as futuras gerações. Estão em suas mãos o dever de ajudar no processo de humanização de crianças, jovens e adultos que serão seus alunos, independente da cor da pele, etnia ou gênero.
Este foi o compromisso que assumi desde que iniciei minha carreira no magistério de 2º grau no Colégio Estadual de Campo Mourão, no ano de 1988 e, outros colégios onde atuei. Depois, como professora no Ensino Superior da atual UNESPAR.
Poderão estar se perguntando: todos nós já não nascemos humanos?
Humanizar-se no sentido da teoria histórico cultural é apropriar-se dos instrumentos e signos produzidos para aguçar os órgão dos sentidos, não somente para escutar, mas para aprender a ouvir, a ver o mundo, perceber conscientemente, raciocinar com lógica, pensar e agir com coerência e conhecimento de causa, não para benefícios próprios, mas para contribuir no desenvolvimento coletivo, nos seus aspectos cognitivo, afetivo e emocional.
Portanto, ser capaz de trabalhar para o bem de todos, com ética e competência e não somente para atender interesses individuais, como estamos vivenciando, hoje, no país.
2
Isso só será possível, caros formandos, com uma educação escolar intencionalmente planejada para este fim, com conhecimentos científicos consistentes que possam contribuir para elevar as funções psíquicas superiores, as quais somente as pessoas são capazes de desenvolverem, tais como, a percepção consciente, atenção voluntária, memória lógica, pensamento (capacidade de abstração e generalização), linguagem, afetividade e emoção.
Quais são esses instrumentos e signos? Os instrumentos são todos os produtos criados pelo homem, mais evidente, podemos manuseá-los. Os signos são psicológicos, precisam ser lidos, interpretados, tomo como exemplo, a escrita, a geografia, por meio dos mapas, diagramas e outros, a história da humanidade, a matemática (álgebra, gráficos, etc), todas as ciências, a filosofia e as artes.
São vocês, queridos formandos, que deverão empenhar-se na sua área de formação (História, Geografia, Letras, Matemática e Pedagogia), para que todos os filhos e filhas dos trabalhadores e trabalhadoras tenham acesso a esses conhecimentos, denominados de instrumentos e signos. Além de ensinar, deverão defendê-las, para não deixarem a classe trabalhadora a mercê das reformas reducionistas da educação. Pois, caso isso ocorra estaremos permitindo que tirem o direito das classes menos favorecidas economicamente desenvolverem suas capacidades cognitivas integralmente.
Como bem expressou Timiriazev citado por Leontievi (1978, p. 264) “[...] Toda a atividade racional do homem não é senão uma luta, a luta contra a luta pela existência. É o combate para que todas as pessoas na Terra possam satisfazer suas necessidades, para que não conheçam nem a indigência, nem a fome, nem a morte lenta [...]”.
Desta forma, esperamos que a luta da UNESPAR por meio de seus professores, agentes universitários, diretores e acadêmicos não seja em vão. Pois esta instituição foi constituída com muita luta e resistência. São muitos os envolvidos, desde a estadualização da faculdade, no ano de 1987, tendo a frente os professores, Antônio Carlos Ribas Malachini, Agenor Krul, Assabido Rhoden, seus colaboradores e acadêmicos da época. Depois da estadualização o esforço em trazer os cursos de especialização para qualificar professores.
Não nos tornamos UNIVERSIDADE por decreto, mas sim por meio de um trabalho árduo, com formação continuada dos professores e lutas por mais de 10 anos. Sempre tendo a frente pessoas imbuídas dos interesses da coletividade.
Quero destacar aqui um marco importante, anterior a esse processo, quando a Profª Sinclair Pozza Casemiro, com sua ousadia, implantou o Tempo de Dedicação Exclusiva (TIDE), para que nós professores, além de ministrarmos aulas pudéssemos nos dedicar a pesquisa e extensão. Formou, ainda, um grupo de estudo com a ajuda da Prefeitura Municipal de Campo Mourão (1996), objetivando preparar-nos para os mestrados e doutorados. Naquela ocasião tivemos contatos com pesquisadores de renome, como; Ana Maria Saul, Adriano Nogueira, Carlos Alfredo Arguello, Carlos Rodriguês Brandão, Dermeval Saviani, João Wanderlei Geraldi, Simon Shwartzman e outros.
3
Para nós foi um incentivo para ingressarmos nos cursos de mestrados e doutorados, embora não efetivados para muitos de nós, naquele momento. As ações, nesse sentido, foram alavancadas com a gestão do nosso atual Reitor Antônio Carlos Aleixo a partir de 2005, quando assumiu, pela primeira vez, a Direção da FECILCAM, hoje Campus da UNESPAR. Graças a ele e seus colaboradores, com o espírito de luta e persistência, quando muitos não acreditavam, vocês, hoje, recebem um diploma qualificado por uma UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE.
Desta forma, encerro minha fala com um pensamento de Leontiev (1978) que diz:
Cada geração começa [...] a sua vida num mundo de objetos e fenômenos criado pelas gerações precedentes. Ela apropria-se das riquezas deste mundo participando no trabalho, na produção e nas diversas formas de atividade social e desenvolvendo assim as aptidões especificamente humanas [...].
Portanto, caros formandos, cabem a vocês aperfeiçoarem pelo trabalho de estudo e pela luta as riquezas que lhes foram transmitidas em seus cursos e contribuírem para a formação humana da nova geração.
Agradeço a todos meus colegas de trabalho e amigos, pelo apoio e companheirismo, durante o tempo em que trabalhamos juntos. Alguns de vocês foram minhas alunas, das quais muito me orgulho pelos profissionais que se tornaram e pelo comprometimento com o ensino e com a Instituição.
Obrigado ao Diretor Eder Rogério Stela, ao Reitor Antônio Carlos Aleixo, de quem muito me orgulho de ter convivido desde a sua época de estudante, pelo envolvimento com a escola pública e as questões sociais. Aprendi muito com você.
Maria José Pereira
i LEONTIEV, Alexis. O desenvolvimento do psiquismo. Livro Horizonte. 1978.

sábado, 22 de abril de 2017

BELÍSSIMA PALESTRA SOBRE A "DEFORMA" DA PREVIDÊNCIA, TRABALHISTA E A TERCEIRIZAÇÃO

A Frente Brasil Popular   que é nacional,  por meio de sua representação  em Campo Mourão-Pr, reuniu-se e teve participação de vários sindicatos e com a liderança do sindicato dos bancários, especialmente com as guerreiras Nivalda Sguissardi Roy e Leonice Cazarin, trouxe para nossa cidade, lotando o Teatro Municipal, com transmissão direta para Auditório da Unespar campus de Campo Mourão e com a brilhante iniciativa e transmissão direta do Blog do Raoni, o economista Eduardo Fagnani da Unicamp.

A palestra foi fantástica e desnudou tudo aquilo que a grande mídia, os representantes do "governo" Temer e os deputados contrários ao povo vêm defendendo sobre as reformas da previdência, a trabalhista e a da terceirização .

O palestrante afirmou que o momento é dramático e que deixemos para debater os erros e acertos dos partidos e todos devem ir para as ruas na greve geral do dia 28/04/2017.

CLIQUE AQUI para assistir. 

sexta-feira, 21 de abril de 2017

A LAVA JATO ESTÁ VIRANDO PIADA

Está virando piada a Lava Jato. Delator há 11 meses inocentou Lula e aí como o conteúdo não agradou, não aceitaram a delação. Agora depois de um longo período mofando na cadeia resolve, sem provas, mas com toda a "convicção" resolve condenar o Lula. Agora enfim, o pobre homem poderá sair da prisão. Agradou, saiu.
As duas perguntas que precisam ser feitas e que deveria valer para qualquer pessoa:
Primeira: delação premiada que segundo juristas decentes é algo que o sujeito faz espontaneamente, ou seja, vai lá e decide delatar. Ficar preso um longo tempo não parece nada espontâneo, ou parece?
Segunda: o sujeito não é obrigado a falar a verdade? Se isso é certo, que validade tem a fala de quem em um depoimento fala uma coisa e depois em outro muda toda a versão?
O doleiro Youssef que cometeu crimes na época do Banestado, fez delação na época, saiu livre e "limpinho" e depois voltou a praticar crime. Agora falou palavras que agradaram e está em prisão domiciliar em uma mansão.
É o Brasil que segue.
CLIQUE AQUI para ler