quarta-feira, 9 de outubro de 2013

MAIS UM ABSURDO. EM QUE MUNDO ESTAMOS VIVENDO?

Mais um absurdo. Em que mundo estamos vivendo? CLIQUE AQUI para ler.

13 comentários:

  1. Nós pensamos que a saúde é apenas um problema aqui no Brasil, mas não, esse é um caso que não nos deixa enganar, podemos dizer que a saúde pública é um problema mundial, pelo menos para os países mais pobres, os investimentos são os mais escassos possíveis. São muitos hospitais que rebolam para sobreviver. Na maioria das vezes o culpado é o governo que não investe o necessário na saúde , é muita demanda e os hospitais não dão conta, porem ,em se tratando dos médicos, justiça seja feita, existem muitos comprometidos com o seu diploma e o juramento feito no dia da formatura, mas convenhamos existem profissionais que não honram o seu jaleco. Várias mortes já aconteceram nas unidades de saúde que são bem suspeita, mas como a família do paciente é leiga no assunto, fica a dificuldade em conseguir provas dos possíveis erros médicos.Esse é um caso que deixa essa dúvida no ar , problemas na estrutura dos hospitais, falta de espaço ou apenas negligencia dos médicos? No meu ver , pessoas deveriam ser tratadas com mais respeito, sendo aqui ou em qualquer outro canto do mundo,fala-se muito em deveres, mais estão esquecendo dos nossos direitos.
    Dieinifer Laissa Vasselek 2º Ano de Economia

    ResponderExcluir
  2. É triste e inacreditável, ler notícias como essa que mostram tamanho descaso com a saúde no meio em que vivemos.
    Apontamentos como esse nos deixam pensativos e de certa forma tristes, Acredito que só quem precisa, e depende mesmo da saúde pública, sente na pele o quão é difícil essa indiferença para com os cidadãos.
    Flávia Pereira - 2° de Economia.

    ResponderExcluir
  3. É triste e inacreditável, ler notícias como essa que mostram tamanho descaso com a saúde no meio em que vivemos.
    Apontamentos como esse nos deixam pensativos e de certa forma tristes, Acredito que só quem precisa, e depende mesmo da saúde pública, sente na pele o quão é difícil essa indiferença para com os cidadãos.
    Flávia Pereira - 2° ano de Economia.

    ResponderExcluir
  4. Estamos vivendo em um mundo, onde somente que tem dinheiro é tratado como gente. Isso vale para todos os cantos do planeta. É uma vergonha que o ser humano seja tão mesquinho. Enquanto uns tem muito, e vivem como verdadeiros reis na terra, outros não tem praticamente nada e são tratados como lixos. Infelizmente não é possível ter nenhuma perspectiva de melhora, até porque, essa foto é um retrato da humanidade pois podemos notar que alguém, invés de socorrer a moça, arruma tempo para tirar fotos.. Absurdo !

    Marcos Venicius Milani - 2° ano de Economia

    ResponderExcluir
  5. Realmente é algo inexplicável e um enorme absurdo, como pode uma mulher não ser atendida em uma situação como essa. É de se espantar o modo como alguns hospitais tratam as pessoas que estão necessitadas de socorro . O fato é que, creio que o caso aí é de descriminação étnica, ou cultural, sei lá, pois não vejo motivo para um simples desentendimento na interpretação do que ela falou gerasse a ação dos médicos. Será que não percebem quando uma cachorra está em processo de parto? Agora um ser humano não seria muito mais fácil,mesmo este sendo mudo? Essa de não falar corretamente o idioma foi realmente uma ótima desculpa. Lastimável.

    ResponderExcluir
  6. Realmente é algo inexplicável e um enorme absurdo, como pode uma mulher não ser atendida em uma situação como essa. É de se espantar o modo como alguns hospitais tratam as pessoas que estão necessitadas de socorro . O fato é que, creio que o caso aí é de descriminação étnica, ou cultural, sei lá, pois não vejo motivo para um simples desentendimento na interpretação do que ela falou gerasse a ação dos médicos. Será que não percebem quando uma cachorra está em processo de parto? Agora um ser humano não seria muito mais fácil,mesmo este sendo mudo? Essa de não falar corretamente o idioma foi realmente uma ótima desculpa. Lastimável.

    ResponderExcluir
  7. O caos no atendimento da população de baixa renda, junto com a escassez de equipamentos e medicamentos, fazem parte da realidade dos hospitais. Será que só porque é público e é para atender a população carente, não faz parte do Plano do Governo como prioridade? O que presenciamos constantemente em relação à saúde publica, são pessoas morrendo dentro dos hospitais, por falta de socorro médico, leitos insuficientes para atender a tanta demanda. Este é mais um caso que envergonha qualquer pessoa, o constrangimento desta mãe de não poder da à luz para seu filho em condições humanas, faz com que cada um pense bem antes de ir a urna votar, pois o que aconteceu com ela pode acontecer com qualquer um de nós, e não é porque aconteceu lá no México é que vamos tapar nossos olhos e pensar que aqui no Brasil é diferente, vem acontecendo coisas piores e se não escolhermos bem os nossos representantes, o próximo pode ser você.

    Nara Rúbia Cavallari - 2° Ano de Economia

    ResponderExcluir
  8. O que faz um atendimento mal feito chegar a tal ponto que quase seje perdida uma vida.Não é por não entender o que ela estava falando,é que hoje em dia as pessoas fazem descazo não dão importancia a vida alheia.A saude não é boa,tem negligencia onde vamos parar assim...

    ResponderExcluir
  9. Há tempos, o sistema público de saúde enfrenta uma crise que se agrava a cada dia. Sem o financiamento necessário, o setor encontra-se mergulhado em problemas, como a escassez de materiais, falta de medicamentos, equipamentos sucateados e déficit no quadro de pessoal.
    Essas falhas que fazem parte da rotina da maioria das unidades públicas de saúde da capital e do interior vêm expondo os médicos a condições precárias e até humilhantes de trabalho e comprometendo gravemente a qualidade da assistência prestada à população.
    Para exercer a Medicina com honra e dignidade, o médico necessita ter boas condições de trabalho e ser remunerado de forma justa. Esperamos que as mudanças a serem implantadas oferecessem essas condições à classe médica e mudem a atual situação de caos na saúde pública.

    Cristieli Lourenço da Silva – 2° ano economia

    ResponderExcluir
  10. Ultimamente é tão comum acontecimentos como este, porém ao nos depararmos ainda conseguimos nos chocar. É impressionante a falta de humanidade por parte de alguns profissionais da saúde, inaceitável o fato de pessoas de baixa renda serem esquecidas, é possível perceber que as coisas no México não são muito diferentes do Brasil, onde para receber um bom atendimento é necessário pagar, pagar duas vezes eu diria, pois em nossos impostos já pagamos para ter direito a saúde, estudo, entre outros.

    Marcio T. Kaneda Moraes - 2º ano Economia Política - Economia

    ResponderExcluir
  11. Lucas José da Silva16 de outubro de 2013 19:44

    É um fato realmente constrangedor e que acontece com muita freqüência nas redes publicas fatos esses que não devia ocorrer por negligencia médica ou falta de comunicação e muito menos por falta de recursos, pois o mesmo é retirado da população e sem retorno de benefícios, trazendo grandes perdas e sofrimentos a muitas famílias.

    Lucas José da Silva - 2° ano de economia

    ResponderExcluir
  12. Fabiane Aparecida Fernandes 2°ano Ciências Econômicas17 de outubro de 2013 09:07

    Até esse ponto chegou as redes públicas de saúde,isso é um absurdo, uma mãe ter que ganhar seu filho no pátio de um hospital, sem assistência alguma, aonde estão esses políticos? Não estão fazendo nada?
    São nas redes públicas, que o governo tem que investir mais, para poder dar uma melhor assistência as pessoas que mais precisam.

    ResponderExcluir
  13. Não é preciso ler noticias em sites, assistir em jornais ou ouvir no radio que a saúde deixa muito a desejar para quem a utiliza na rede pública. Em todo lugar, seja no Brasil ou em outro pais todos deixam claro que seu desejo, e prioridade é a melhoria na saúde. Porém se nem vendo imagens como essa eles não enxergam quais são nossas prioridades, não sei o que deve ser feito para que as mesmas sejam respeitadas e realizadas.

    Andressa Ribeiro da Silva 2º ano de Economia- Economia Política

    ResponderExcluir

LEIA COM ATENÇÃO!

Este espaço é para você fazer o seu comentário sobre a postagem ou mesmo sobre o blog como um todo. Serão publicados todos os comentários a favor ou contra, desde que não contenham textos ofensivos.
Os comentários serão publicados até 24 horas após o envio.

Se você NÃO quiser se identificar, marque o seu perfil como ANÔNIMO e envie. Se você QUISER se identificar, marque o seu perfil como NOME/URL, escreva o seu nome no campo NOME e deixe o URL em branco e envie.