sábado, 22 de junho de 2013

MUITO BOA ESSA: 8 DICAS PARA NÃO PAGAR MICO EM MANIFESTAÇÕES

Muito boa essa: 8 dicas para não pagar mico em manifestações. CLIQUE AQUI  para ler.

3 comentários:

  1. Oito dicas pra não pagar mico em tempos de Manifestações:

    1- Não compartilhe o vídeo dos atores da Globo contra Belo Monte. Esse vídeo de 2011 está cheio de informações falsas. Inclusive alguns atores que gravaram o vídeo se arrependeram depois de descobrir que o que eles disseram não era bem assim.
    R- DEVEM TER SE ARREPENDIDOS PELO FATO QUE NÃO DEVEM TER RECEBIDO PARA FALAR.
    2- Não diga que foram gastos 30 bilhões em estádios. Na verdade, foram gastos 7 bilhões, que é coisa pra caramba. Desses 7 bilhões, grande parte é emprestado pelo governo federal, mas a maior fatia será paga pela iniciativa privada. Os outros 23 bilhões foram investimentos em infraestrutura, transporte e aeroportos. Inclusive, o investimento em transporte é uma das reivindicações dos protestos.
    R- SE FORAM INVESTIDOS TODO ESSE DINHEIRO E PORQUE CONTINUA A MESMA PORCARIA DE SEMPRE??

    3- Nunca peça pro governo gastar com saúde o mesmo que se gastou com estádio de futebol. Nos 7 anos de preparação para a Copa, foram gastos aproximadamente 7 bilhões com estádios. Neste mesmo período, foram gastos mais de 500 bilhões com saúde. Então se vc fizer isso, na prática vc ta pedindo pra reduzir consideravelmente os gastos com saúde. Gastos com saúde nunca são demais. Então cuidado pra não pedir a coisa errada.
    R- SE GASTARAM 500 BILHÕES E A SAÚDE ESTÁ ESSE CAOS, ENTÃO, ESTAMOS MORTOS MESMO.

    4- Não peça um presidente pra garantir que algum político seja preso. Isso é papel do poder Judiciário. O manifesto deve ser endereçado a este poder.
    R- SÓ O FATO DO GOVERNO NÃO TENTAR IMPEDIR AS INVESTIGAÇÕES JA SERIA ALGO CONSIDERÁVEL. DE TODOS OS MINISTROS QUE CAIRAM COM A DILMA, ME CITE 1 QUE FOI CONDENADO. O MINISTRO DO TRANSPORTE QUE FOI AFASTADO POR SUSPEITAS DE CORRUPÇÃO, TEVE O DIREITO DE INDICAR ALGUÉM DO SEU PARTIDO PARA SUBSTITUÍ-LO. UM ABSURDO.

    5- Não peça um presidente pra impedir a votação de uma lei ou PEC. Isso é prerrogativa do Congresso. O manifesto deve ser endereçado aos parlamentares.
    R- MAS A PRESIDENTA SE QUISER ELA PODE EXIGIR QUE O SEU PARTIDO E OS ALIADOS VOTEM A FAVOR DO POVO.


    6- Não peça um presidente pra cassar o mandato de algum deputado ou senador. Isso é papel das casas legislativas. Está escrito no artigo 55 da Constituição Federal.
    R- NO CASO DO MENSALÃO, SE O LULA TIVESSE VERGONHA NAQUELA CARA SUJA DELE, ELE ENTREGAVA OS DEPUTADOS ENVOLVIDOS, JÁ QUE ELE CHEGOU A DIZER QUE FOI APUNHALADO PELAS COSTAS.

    7- Nunca peça pra fechar o Congresso e acabar com os partidos. O último presidente que fez isso foi um Marechal. Tal ato aconteceu em 1968 e foi nada menos do que o temido AI-5 da ditadura.
    R- COM ESSE BANDO DE LADRÕES QUE ESTÃO NO CONGRESSO SERIA MELHOR QUE FECHASSE DE VEZ E IA ACABAR COM OS DESMANDOS NESSE PAÍS.

    8- Não compartilhe aquelas informações falsas sobre o auxílio reclusão. O auxílio reclusão é um benefício pago à família do detento que contribuiu com o INSS, logo ele está recebendo um valor pelo qual já pagou anteriormente. O detento deve ser punido, não sua família.
    R- ENGRAÇADO, PESSOAS QUE TRABALHARAM QUASE A VIDA TODA, QUANDO PRECISA DE UM BENEFICIO DO INSS QUASE TEM QUE IMPLORAR PARA FAZER UMA PERÍCIA E QUANDO CHEGA A HORA OS PERITOS NEM OLHAM PARA OS EXAMES E NEM CONSULTAM A PESSOA E DIZEM QUE ESTÃO APTOS AO TRABALHO. ONDE JA SE VIU UM PERITO QUE É PSICÓLOGO ATESTAR QUE UMA PESSOA COM PROBLEMAS NA COLUNA ESTÁ BEM E PODE VOLTAR A TRABALHAR, ISSO ACONTECEU COM ALGUÉM DA MINHA FAMÍLIA, NÃO FOI NINGUEM QUE ME DISSE.

    ResponderExcluir
  2. Salvador José de Almeida26 de junho de 2013 04:12

    A favor dos movimentos e contra esse governo incerto, e para termos outra visão e não apenas sermos indivíduos sem voz ativa na sociedade segue entrevista retirada da revista VEJA muito interessante para os leitores.

    Dilma faz ‘governo de propaganda’ e tenta se descolar de manifestações'

    Professor de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Roberto Romano afirma que 'a sociedade que estava hipnotizada e anestesiada'
    Com perfil centralizador e sem carisma para conduzir o governo em meio a turbulências econômicas, a presidente Dilma Rousseff tem moldado seu governo com base em técnicas de propaganda. A avaliação é do professor de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Roberto Romano. Para o estudioso, a prova mais recente da excessiva dependência do marketing político foi a tentativa da chefe do Executivo de se comportar como uma mera espectadora diante das manifestações populares que tomaram conta do país. “Merece muita reflexão o fato de se ter uma presidente da República que se desloca, vai conversar com o ex-presidente da República e com o marqueteiro João Santana. Dos ministros da presidente Dilma Rousseff, o João Santana é o mais importante. A coreografia dos atos é decidida por ele: como ela aparece na televisão, o que ela vai dizer, a desculpa que ela vai dar”, disse o professor em entrevista ao site de VEJA. Mesmo com o marketing, avalia ele, “a sociedade que estava hipnotizada, anestesiada e dormente agora está despertando”.

    Essas manifestações são resultado de uma desconfiança cada vez maior da sociedade sobre instituições representativas e de governo? O nosso estado nasceu contra a democracia moderna tendo em vista esse privilégio do Executivo. Vivemos com esse privilégio do chefe de estado, do Executivo desde 1824. Tudo funciona tendo em vista essa hegemonia, essa ditadura quase perene do Executivo sobre Legislativo e sobre Judiciário. O Legislativo então se transforma em um lugar de negócios, é o negócio do lobby, de chantagear o Poder Executivo para conseguir verbas. É tudo isso que conhecemos como corrupção. Há uma desconfiança do estado brasileiro em relação à sociedade civil. A sociedade civil é vista como uma entidade a ser tutelada, controlada, censurada, definida pelo poder de estado.

    Esses motivos levantados pelos manifestantes, como gastos com a Copa, economia travada, retorno da inflação, não começaram de duas semanas para cá. Por que antes não houve toda essa mobilização? Não houve porque a sociedade ainda estava hipnotizada pela estabilidade econômica. Agora começou a cair a ficha. Antes da explosão das manifestações, houve movimentos como o do Ficha Limpa, houve um apoio sistemático da sociedade à lei de improbidade administrativa, houve a repulso ao episódio do mensalão. Mas como o Legislativo e o Executivo estão respondendo? Eles querem acabar com leis de vanguarda. Existem projetos já na Câmara dos Deputados. Agora as pessoas estão percebendo que além de não resolver os problemas, o estado está não querendo resolver os problemas. Ele está querendo manter a situação de corrupção e de ineficácia.



    Roberto Romano, filósofo e professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp (Márcio Fernandes)

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/dilma-faz-%E2%80%98governo-de-propaganda%E2%80%99-e-tenta-capitalizar-sobre-manifestacoes-diz-romano

    Salvador José de Almeida
    2º Ano Ciências Econômicas

    ResponderExcluir
  3. Realmente uma porcentagem da população saíram nas ruas sem o menor conhecimento ou uma ideia do que estavam protestando, ora como reclamar de algo sem conhecimento? O ponto base dessas manifestações seria essa ignorância? vejo o contrário a população em si viu que um país de terceiro mundo que esta fazendo uma "Festa" para a Copa do Mundo haja vista ter por obrigação seguir padrões de primeiro mundo, creio que isso foi o estopim de toda essa bagunça, não pela festa e sim pela falta dos demais como (saúde,salários, etc..)

    Juliano Dias
    Ciências Econômicas

    ResponderExcluir

LEIA COM ATENÇÃO!

Este espaço é para você fazer o seu comentário sobre a postagem ou mesmo sobre o blog como um todo. Serão publicados todos os comentários a favor ou contra, desde que não contenham textos ofensivos.
Os comentários serão publicados até 24 horas após o envio.

Se você NÃO quiser se identificar, marque o seu perfil como ANÔNIMO e envie. Se você QUISER se identificar, marque o seu perfil como NOME/URL, escreva o seu nome no campo NOME e deixe o URL em branco e envie.