sábado, 9 de maio de 2009

O QUE É SER MÃE PARA VOCE?

Ser mãe é parir um filho? Claro que sim, de fato e de direito, pois Deus deu este dom para a maioria das mulheres e é uma das coisas mais belas de toda a criação.

A minha mãe por exemplo é um espetáculo, criou três filhos, ajudou significativamente na criação de uma afilhada, está criando um neto e já ajudou de forma substancial na criação da neta, não preciso dizer mais nada para identificar esse grandioso ser.

A ligação entre mãe e filho é algo que desafia a nossa razão. Certa vez meu filho com 3 anos estava dormindo com a avó e acordou assustado, sentou na cama e disse MÃE. A vó o acalmou e disse que era apenas um sonho, no outro dia ficamos sabendo que a mãe dele havia sofrido um acidente de carro graças a Deus sem gravidade. Como explicamos isso, só Deus.

Certa vez em Roncador-Pr uma peça de trator de uns 100 quilos caiu sobre uma menina, só não morreu porque a mãe sozinha num ataque de amor, retirou a peça e a salvou. Não me pergunte como ela teve forças para isso, pergunte a Deus sobre o maravilhoso vínculo entre mãe e filho(a).
Ser mãe é somente parir um filho? Na minha opinião não. Há diversas formas de ser mãe, mesmo sem parir.

Eu tenho duas irmãs, uma é mãe a outra por opção não é. Mas confesso a vocês que as vezes me surpreende o tamanho amor dedicado pela minha irmã (a que não é mãe) aos dois sobrinhos. E aí eu pergunto, ao menos por algumas vezes ela não mereceria ser chamada de mãe.

A dona Alba irmã da dona Jacira do Lar ( dona Jacira) em Campo Mourão-Pr, é solteira, não tem filho, mas a mais de vinte anos cuida de crianças especiais e portadoras das mais diversas enfermidades naquela casa. Desde que eu visitei pela primeira vez, nunca mais fui o mesmo e percebi o quanto eu era um abençoado. Então será que a Dona Alba pode ser chamada de mãe? Eu não tenho dúvida que pode.

E as mulheres que não podem engravidar e adotam filho não podem ser chamadas de mãe? Na minha opinião claro que podem.

E as enfermeiras que não tem filhos. Eu conheço a enfermeira Ana Choptian de Roncador-Pr que é solteira, não tem filhos, mas a mais de 30 anos cuida incansavelmente de pessoas portadoras de hanseníase, dá banhos nas feridas, aconselha, encaminha, cura. E aí, será que ela poderia ser chamada de mãe? Para mim sim, aliás penso que a Câmara de Vereadores, o prefeito, poderiam fazer uma merecida homenagem a ela.

E as freiras que cuidam de doentes e velhinhos, poderiam ser chamadas de mães? A irmã Dulce e a Madre Tereza de Calcutá mereciam esta denominação?. Para mim claro que sim.

E as assistentes sociais de formação e todas aquelas mulheres que trabalham nos projetos sociais, mas que não pariram, embora na prática da profissão ou da missão, orientam, ajudam, encaminham, alimentam miseráveis, drogados, meninas prostitutas, etc e etc, não merecem ser chamadas de mães? Eu tenho certeza que sim.

Então só posso dizer feliz dia das mães para todas aquelas mulheres que, segundo minha visão merecem ser homenageadas neste domingo.

4 comentários:

  1. Parabéns pela lembrança de mulheres tão fantásticas que apesar de não terem filhos biológicos, fazem igual ou mais. De qualquer forma parabéns, a todas as mulheres que de um jeito ou de outro exercem esse papel sublime e se abstém de muitas coisas para se doar aos seus filhos.

    Paulo Roberto Santana Borges

    ResponderExcluir
  2. Anderson Marcondes10 de maio de 2009 11:06

    Muito boa a matéria Maybuk... Realmente Mãe não é somente aquela que gera um novo ser, mas também aquela que cuida daqueles já gerados. Gostaria também de compartilhar relatando um fato semelhante ao que aconteceu ao seu filho. No carnaval de 2007 eu estava voltando de uma festa em Peabiru e por volta das 4 horas da manhã sofri um acidente de moto já na entrada de Campo Mourão. No mesmo momento, minha Mãe me ouviu chamá-la, inclusive levantando-se da cama e indo até o portão para ver se eu estava lá. Na realidade, naquele momento eu estava caído no chão com 6 costelas e um clavícula quebrada. Ela somente soube do ocorrido várias horas depois. São situações que somente o elo de amor pode explicar. Uma ótima semana para ti amigo.

    Abraços,

    Anderson

    ResponderExcluir
  3. Caro Maybuk

    Não poderia deixar de fazer, um breve comentário, nesta sua matéria sobre as mães.Primeiro parabêns pela lembrança ao dia das mães. Depois estou de pleno acordo contigo, quando salienta que todas aquelas mulheres que se dedicam ao cuidado de seres humanos, possam ser chamadas de MÃE.Uma das coisas que me completou enquanto "ser humana" no sentido mais literal que a palavra possa exercer, foi o fato de ser mãe de um ser maravilhoso, que eu tive a honra de por no mundo. Com ela, "Minha Pequena Grande Bailarina" aprendo a cada dia a melhorar a minha tão restita condição de ser humana. É esse ser maravilhoso, enquanto cresce ao meu lado, que me ensina a cada dia, um pouquinho a mais sobre o que é Amar e consequentemente o que é o sentido mais profundo do AMOR. Mas esse sentimento não é um privilégio meu, é um sentimento compartilhado por todas as mulheres que independente de terem parido, dedicam-se à criação de outros seres,transformando-os em homens e mulheres de bem. Parabêns a Nós todas...Mulheres...Guerreiras...e simplesmente Mães. Obrigada.
    Adélia Haracenko.

    ResponderExcluir
  4. Rosangela Maria Pontili13 de maio de 2009 05:07

    QUE LINDO!!!... FIQUEI EMOCIONADA!!!

    ResponderExcluir

LEIA COM ATENÇÃO!

Este espaço é para você fazer o seu comentário sobre a postagem ou mesmo sobre o blog como um todo. Serão publicados todos os comentários a favor ou contra, desde que não contenham textos ofensivos.
Os comentários serão publicados até 24 horas após o envio.

Se você NÃO quiser se identificar, marque o seu perfil como ANÔNIMO e envie. Se você QUISER se identificar, marque o seu perfil como NOME/URL, escreva o seu nome no campo NOME e deixe o URL em branco e envie.