quarta-feira, 5 de novembro de 2008

UM NEGRO NA CASA BRANCA COM CERTEZA UMA BELA MISTURA

O mundo hoje (05 de novembro) está muito diferente. Foi eleito nos Estados Unidos da América clique aqui (para ver matéria) Barack Obama o primeiro negro a assumir a Casa Branca.
O mundo está muito diferente, porque este resultado é um marco, é um divisor de águas. Nos Estados Unidos da América, negros já foram impedidos (e talvez ainda sejam) de frequentar lanchonetes e outros estabalecimentos comerciais, mesmo com dinheiro no Bolso.
Barack Obama é um negro vencedor. Ele venceu a pobreza, ele venceu o preconceito do sobrenome (é bom lembrar que na campanha das prévias, em um canal de televisão citaram seu nome e mostraram a foto do Osama, inimigo número um do atual presidente). É claro que deve ter sido um erro, pois "raramente" uma imprensa é tendenciosa.
Barack Obama é um negro vencedor porque ficou rico como profissional liberal. Normalmente o mundo só permite que legalmente um negro seja bem sucedido sendo artista ou atleta. Mas lendo a matéria que está anexada eu acho que descobri o segredo. Ele é filho de pai queniano e é impressionante a capacidade de resistência das pessoas daquele país.
Barack Obama é um negro vencedor porque venceu nas prévias uma mulher dinâmica e esposa de um ex-presidente que teve grande aceitação popular.
Barack Obama é um negro vencedor porque virou candidato do mundo. Virou Pop Star.
Os Estados Unidos sempre foram referência do mundo moderno. Se lá pode porque aqui não pode. Lá já elegeram um negro. Falta eleger uma mulher para assumir a Presidência dos EUA.
E no nosso Brasil, com metade da população sendo negra quando será eleito um Presidente negro? E ainda outra opção, no Brasil com metade da população composta por mulheres, quando será eleita uma mulher?

2 comentários:

  1. Leandro Moreira da Luz5 de novembro de 2008 06:32

    Olá Professor
    Com certeza estamos observando um marco histórico neste referencial inercial, como observaram em 1789 George Washington, como observaram em 1869 Lincoln. Em ambos os casos tivemos um feliz desfecho de muitas vitórias. Achei que fosse o Brasil e os periféricos do centro econômico que necessitavam de, antemão, grandes problemas para que se mudasse o "tune" para uma melhor estação, vide a política das substituição das importações de Getúlio, ou a política estruturalista de JK, ou até, a abertura para o mundo nos anos 1990Portanto, devemos apressar os ouvidos para as boas novas do mundo. Porque eu também sou otimista! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Sérgio, tudo bem?

    Eu de certa forma estava ansiosa para saber os resultados das eleições dos EUA. É muito evidente o otimismo do mundo com a bela vitória de Barack Obama para presidente. É muito interessante ver os países unânimes comemorando. Só em saber que a cúpula do ditador está se retirando é um alívio. Todos sabem que as coisas não serão nada fácies, mas pelo menos tem-se esperança de melhora e a quebra de paradigmas, não é mesmo? Momento único na história desse país, hem?

    Outro ponto a observar e refletir é a questão desse homem incomum destacar a sua origem dizendo não ser negro. Nascido em Honolulu (Havaí), Obama é filho de um homem negro queniano, mulçumano não praticante com uma mulher branca e americana e que conviveu parte de sua infância ao lado do padrasto, Lolo Soetoro um indonésio mulçumano, outra parte no Havaí com sua avó branca e posteriormente nos EUA. De formação acadêmica renomada (cientista político e advogado) esse homem tem uma visão holística de mundo.

    Maravilha.

    Ivonete

    ResponderExcluir

LEIA COM ATENÇÃO!

Este espaço é para você fazer o seu comentário sobre a postagem ou mesmo sobre o blog como um todo. Serão publicados todos os comentários a favor ou contra, desde que não contenham textos ofensivos.
Os comentários serão publicados até 24 horas após o envio.

Se você NÃO quiser se identificar, marque o seu perfil como ANÔNIMO e envie. Se você QUISER se identificar, marque o seu perfil como NOME/URL, escreva o seu nome no campo NOME e deixe o URL em branco e envie.